Tecnologia do Blogger.

Siga-nos

Siga-nos, com o Google+

domingo, 15 de junho de 2014

As Maiores Gafes do Cinema(Filmes Científicos)


Os maiores erros científicos de Hollywood


Hoje em dia os filmes de Hollywood estão cada vez mais tecnológicos e bem desenvolvidos, com roteiros impecáveis e caracterizações impressionantes. No entanto, o que os astros, diretores de a equipe de produção dos filmes dessa fábrica de sonhos ainda não conseguiram superar foram os erros científicos de suas superproduções.
Não só a ambientação histórica costuma estar incorreta em longas de sucesso. A forma como as coisas acontecem, especialmente em ficções científicas, deixam a desejar e ainda induzem as pessoas a acreditarem em versões incorretas de processos físicos, químicos e em fatos reais que aconteceram há inúmeros anos.
Veja abaixo os exemplos mais grosseiros dessas gafes de Hollywood:

HOMEM-ARANHA

1
Sabia que cada 100 metros de fios de teia lançados, o super-herói teria que perder 3% de seu volume corporal, como acontece com as aranhas? Acontece que na trilogia isso não entrou no roteiro, Em O Espetacular Homem Aranha (2012), Peter Parker cria as teias artificialmente e guarda as cápsulas em seu pulso, igual aos quadrinhos.

O DIA DEPOIS DE AMANHÃ

2
No filme, o mundo está acabando e as cidades estão sendo todas destruídas. Mas para inundar um lugar do porte de Nova York, por exemplo, seria preciso derreter de uma vez só 75% do gelo da Antártida! #fail

OS VINGADORES (E MILHARES DE OUTROS FILMES)

3
Apesar de explosões de carros serem comuns em filmes de ação, quem entende do assunto afirma que isso é bem improvável na vida real. O único jeito de situações assim acontecerem seria se uma grande chama entrasse em contato com a parte de fora do tanque e evaporasse a gasolina lá de dentro, criando uma explosão por causa da pressão excessiva. Então tudo aquilo que o longa – e milhares de outros filmes – mostra, não passa de exagero!

GLADIADOR

4
No filme, lançado há 14 anos, o filho do gladiador Maximus grita “Mamma! I soldati!” quando sua casa está sendo atacada. Mas é curioso como ele diz com uma pronúncia perfeita, num filme falado em inglês e que retrata uma época em que a língua usada era o latim. Isso não é exatamente um erro… é uma confusão das grandes!

STAR WARS

5
Mesmo sendo um sucesso até hoje, o filme tem vários erros típicos de histórias que se passam no espaço. Um dos mais aparentes é que seria impossível ter explosões do lado de fora da atmosfera, onde não tem oxigênio. Além disso, o som não se propaga no vácuo, então não seria possível ouvir o barulho das naves. E os sabres de luz não poderiam existir, por que não tem como “domar” a luz.

MARIA ANTONIETA

6
O filme leva a entender que o rei Luis XVI é gay e por isso não mantém relações com sua esposa. Mas na verdade, historiadores dizem que o órgão genital do rei era desproporcional e o de Maria Antonieta estreito demais, então era doloroso consumar o casamento.

PLANETA DOS MACACOS: A ORIGEM

7
O grande erro do filme, conforme os especialistas em cinema, era oriundo da versão mais antiga do longa e foi consertado na regravação de 2011. Segundo eles, no filme de 1968, uma nave de humanos cai no planeta Terra, 2 mil anos depois de ter partido; e encontra o lugar dominado por macacos super desenvolvidos. Isso, conforme dados históricos, seria impossível já que demorou mais de 150 mil anos até os humanos mostrarem inteligência avançada.

JORNADA NAS ESTRELAS

8
Tanto a série Jornada nas Estrelas, dos anos 70; quanto o filme, lançado em 2009; cometem a mesma gafe: a tripulação da nave anda normalmente mesmo com gravidade zero, o que é impossível cientificamente.

10.000 A.C.

9
Lançado em 2008, o filme mostra homens que usavam mamutes para construir pirâmides. Apesar de ser um pensamento engenhoso, a verdade é que não se tem quaisquer registros de mamutes domesticados. Além disso, não haviam pirâmides naquela época. Essas edificações começaram a aparecer em torno de 1.500 A.C.

MELANCOLIA

10
No filme é retratada a história de um planeta que está prestes a atingir a Terra, mas enquanto isso todas as pessoas vivem normalmente. Na vida real, marés inundariam boa parte da terra antes do choque, partes do planeta ficariam sem água, a atmosfera mudaria e todo mundo morreria asfixiado. Além disso, uma colisão dessas teria sido prevista com décadas de antecedência.
Não acredite em tudo que vê por aí!

0 comentários:

Postar um comentário